20 de fevereiro de 2009

Estaremos todos a ficar malucos?


Como me sinto? Sei lá como me sinto. Mal… bem….
Passam-se dias sem ter tempo para pensar como me sinto. Passam-se dias sem ter tempo para pensar sobre o futuro.
Os medos que entram pelas nossas casas dentro, quer através dos órgãos de comunicação social, quer pelas notícias de vizinhos, obrigam-nos a que recusemos pensar.
Os nossos governantes estão viciados em preocuparem-se com coisas que, logicamente, ao cidadão comum pouco ou nada dizem.
Os problemas dos cidadãos continuam, perduram… e perdurarão! Assim se faz em Portugal.
Todos reclamamos, todos protestamos. Na hora H, todos nos escondemos.
Os professores protestaram contra as avaliações. Fizeram greve. Conclusão: estão todos a entregar os objectivos. Desculpam-se com coisas… sim coisas…. Mas entregam. Vitória da ministra.
Falou-se da corrupção do Apito Dourado… as frutas, as escutas, os árbitros…o que é certo é que nada se passou. Tudo decorreu dentro da normalidade do nosso Portugal.
A Casa Pia… quantos anos já passaram?
Agora é o caso Freeport que implica o Sócrates… vai dar em nada!
A onda de assaltos, a insegurança nocturna, sobretudo no Norte, …
Os consecutivos desempregos...
Tantas coisas!
Agora pergunto: Como me sinto?
Não sei… apenas sei que por causa da crise, tenho que apertar o cinto!
Vamos abandonar o país, o último a sair que apague as luzes do aeroporto!

ASS: Diferente

2 Comentários:

Blogger Daniel Silva disse...

Pois...

20 de fevereiro de 2009 às 14:27  
Blogger Ana Paixão disse...

Deus do céu, o meu professor de História escreve mesmo bem! (Ups, eu não sabia! Mas com tantas pistas é difícil não chegar lá).
De qualquer forma vais continuar a ser TU, porque é giro tratar um professor por tu e porque vamos fazer de conta que eu não sei!
Este blog vai continuar a ser comentado como dantes, vou ler o que o escritor escrever e não o que o professor escrever.

Não sabes como te sentes? Eu também não. Uma vez disseste-me para ser mais optimista e agora sou eu que to digo. Agradece o facto de seres amado, e acima de tudo, de teres saúde :) (Apesar de surdo de um ouvido LOL)

Já pensaste quantas pessoas gostavam de estar no teu lugar? Já pensaste quantas mães desempregadas desejavam entregar esses objectivos?

Sim, vai-te embora. Vamo-nos embora.. mas o último a sair do aeroporto que deixe um recado em cima da mesa: "Um dia quando voltar isto vai estar melhor"

22 de fevereiro de 2009 às 19:16  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial