6 de agosto de 2009

Silêncio!


O silêncio por vezes é amigo
Podemos gritar bastante calados
Basta haver quem queira gritar comigo,
De loucos seremos apelidados!

São estes silêncios amargurados
Que me servem por vezes de abrigo!
Estes gritos mudos descontrolados
Têm uma razão de ser, eu te digo...

De louco tu me vais apelidar
Transloucado sei que por vezes sou
Arranja quem possa vir-me curar.

palavras surdas que por vezes dou
E não quero que me possas culpar...
A culpa é Daquele que me inventou!

ASS: Diferente

14 Comentários:

Anonymous carlos gonçalves disse...

É bela esta poesia e é também, em parte, a analogia do meu ser.
Ainda recentemente uma mulher me disse: 'és louco' e eu disse-lhe: 'sou louco por ti, desde que te conheci!'
Não nascemos loucos, a vida e o amor, ensaia em nós a demência dos sentidos.

Um abraço.

Carlos Gonçalves

6 de agosto de 2009 às 14:34  
Blogger Graça Pereira disse...

Há silêncios que falam e dizem muito! Há conversas, palavras, ruídos a mais que não dizem nada.Quando o coração fala, diz tudo e apresenta-o no olhar. Não são precisas palavras. A boca pode estar fechada, agrafada, como a tua foto que ilustra bem o teu poema...mas ningúem pode amordaçar um coração! Sejemos todos loucos..mas por amor! Um bj e bom fds Graça.

6 de agosto de 2009 às 15:49  
Blogger Abraço-te disse...

Há silêncios e... Silêncios

Abraço-te

6 de agosto de 2009 às 17:54  
Blogger Quase nos 50 disse...

O som do silêncio é por vezes assustador , outras vezes aconchegante.
E que mal há em se ser um pouco louco?
A loucura sadia é uma prova de sanidade mental ;-)
Um abraço

6 de agosto de 2009 às 22:01  
Blogger Silvy disse...

Digam o que disserem e aconteça o que acontecer contínuo a achar que é no silêncio que se dizem as mais belas palavras, é no silêncio que se tomam as mais importantes decisões, é no silêmcio que descobrimos quem somos.
Quanto vale o silêncio? Não tem preço!

6 de agosto de 2009 às 23:57  
Blogger Terra de Encanto disse...

Necessário...o silêncio, quando temos que nos encontrar connosco próprios.

Urgente....um pouco de saudável loucura, num mundo padronizado, formatado, onde se espera que todos saibamos ser felizes da mesma maneira. E essa não é a realidade do ser humano.

7 de agosto de 2009 às 01:30  
Blogger Francisco Vieira disse...

Sim, podemos senti-lo mesmo no meio da multidão

cumprimento-te, agradecento-te por mais esta bela obra...

Um abraço

Francisco

7 de agosto de 2009 às 03:27  
Blogger confesso disse...

Belíssimo soneto...

Gritar calado, ter o silêncio como amigo... Ah, isso não é loucura...É controle da vida, abrigo certo...

Beijo mudos...

7 de agosto de 2009 às 13:58  
Blogger Sonia Schmorantz disse...

Um bom jogo de palavras, um belo poema...silêncios, gritos engolidos, que nos protegem..
abraço, bom final de semana

8 de agosto de 2009 às 06:01  
Blogger Ana Paixão disse...

O silêncio fala mais que muitas palavras. Eu gosto do usar em certas situações...

um beijinho silencioso.

9 de agosto de 2009 às 02:11  
Blogger Ademerson Novais disse...

Eita silencio que as vezes tb grita dentro de mim cara...um silencio que senão tampo os ouvidos me surda...me deixa louco....mais é este mesmo silencio que me traz tb uma paz..uma grande paz...


Ate mais...

Ademerson Novais de Andrade

12 de agosto de 2009 às 19:26  
Blogger Memória de Elefante disse...

psiu....

19 de agosto de 2009 às 21:56  
Blogger ESPERANÇA disse...

Belíssimo!

Parabéns!!

Abraços.

21 de agosto de 2009 às 14:15  
Anonymous clovis oliveira brandão disse...

Buenas!
Não sou grande fã de versos rimados, mas fico feliz quando encontro um belo texto capaz de fazer-me sentir a poesia.

25 de janeiro de 2010 às 11:46  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial