8 de março de 2010

MULHER...


Nasceste para me dar alegrias
Vives de acordo com o que preciso
Não sou aquilo que pretendias
Contudo, dás-me sempre esse sorriso.

Conseguiste mostrar-me o paraíso
Disseste-me de que forma vivias
Não obstante o meu pouco juízo
Alegras-me com tuas fantasias!

Tua presença afugenta o perigo,
Relembro os bons momentos sem saber
Sabes o quanto adoro estar contigo.

E é bom que tu fiques a saber,
Com toda a sinceridade eu te digo:
Orgulho-me por seres minha mulher!


ASS: Diferente

6 Comentários:

Blogger Miguel disse...

Que bonita homenagem. Adorei o poema.

8 de março de 2010 às 18:46  
Blogger MM - Lisboa disse...

Apesar do seu "pouco juízo", estou a citá-lo, a sua mulher é uma felizarda. Que bela declaração de amaor. Parabéns!

8 de março de 2010 às 21:14  
Blogger direitinho disse...

Bom dia
Foi um soneto maravilhoso. Sem artificialismos nem palavras ocas. Surgiu a sinceridade e a originalidade. Parabéns.

9 de março de 2010 às 08:37  
Blogger rosa-branca disse...

Olá, não há dúvida que até na poesia sabe ser diferente. Linda homenagem. Adorei. Beijos

22 de março de 2010 às 16:11  
Anonymous Ed disse...

Amei teus textos. Muita sensibilidade, tu usa tão bem as palavras, sempre bem escolhidas. Acho que só os bons sabem fazer isso.

Abraço!

11 de maio de 2010 às 00:37  
Blogger Antonio Tadeu Segat disse...

Otimo trabalho amigo...

agurado sua visita.....
http://blogstony.blogspot.com/
abraços!

15 de outubro de 2010 às 12:58  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial