22 de maio de 2010

Amaldiçoado...


Amaldiçoada vida que levo,
Mil vezes sejas amaldiçoada.
Dor enorme que sinto quando escrevo...
Pesadelo que não presta pra nada!

Em carcaça escondida, atraiçoada
Vive alma que foge deste relevo.
Foi por diversas vezes atraiçoada,
Má sorte que a relatar não me atrevo!

Vai chorando alma à porta do sepulcro,
De nada te vale, ninguém te liga,
Pois teu lamento não tem qualquer fulcro!

Sentindo tu uma certa fadiga,
Chamas por ti mesma com teu tom pulcro,
Aceitas a sina que te castiga!

ASS: DIFERENTE

1 Comentários:

Blogger walter disse...

Dorido mas muito belo!

Deixo-te um sorriso e um abraço

...e espero,

que amanhã o sol brilhe dentro de ti, como nunca antes brilhou!

Walter

23 de maio de 2010 às 16:47  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial